A brasiliense, Flora Matos, é mais um dos nomes que vêm permeando minha cabeça e meus fones de ouvido.

Flora sempre chamou minha atenção, não só pelos seus beats e suas rimas, mas também pela sua postura. Ela faz rap sem precisar apelar para nenhum dos estereótipos desse universo, como os da masculinização ou da hipersuxualização da mulher. E que traz nas suas músicas a sagacidade de quem é do mundão, falando de amor ou das coisas do cotidiano.

Apesar de já conhecê-la há um tempo, admirar seu trabalho e curtir seus sons, ainda não tinha ouvido uma música dela, que ficasse entranhada em mim – sem querer bancar a chata – mas ainda não tinha rolado aquela identificação que faz os pelos do braço arrepiar.

E recentemente rolou isso, de um jeito muito massa, e com uma música incrível, “Preta de Quebrada”. O single foi lançado em março deste ano, mas só agora, por indicação de um amigo, eu resolvi escutar, e foi como se uma cortina que tampava meus olhos tivesse caído.

De imediato, fiquei apaixonada pela música, com uma letra de empoderamento e sororidade lindíssima e ainda com uma declamação, que na boa, já virou até um mantra pra mim.

Se eu pudesse dar um conselho a alguém sem dúvida alguma, seria um Ctrl C + Ctrl V dessa letra: