“O disco (Ressaca) é uma volta as origens. Uruguai, Rio Grande do Sul, São Paulo e Pernambuco se encontram nele.”

Em 2013 quando lançou seu primeiro disco solo, “Quando Calou-se a Multidão”, de forma independente (via catarse), Alexandre Assis Brasil, o Guri, recebeu muitos elogios pelo seu som melancólico e suas letras sinceras.

Agora Guri Assis Brasil se prepara para lançar um novo disco, intitulado “Ressaca”, e promete uma mudança de sonoridade. Conversamos um pouco com ele para entender essa nova fase de sua carreira. Confira:

O que podemos esperar do novo álbum, Ressaca?

Um disco bastante diferente do primeiro. Sempre gostei de inovar na minha arte, não gosto de ficar na zona de conforto, gosto de sair dela. O disco é uma volta as origens. Uruguai, Rio Grande do Sul, São Paulo e Pernambuco se encontram nele.

Você falou recentemente em seu facebook sobre mudança de sonoridade, conseguiu alcançar o que esperava?

Sim, consegui chegar aonde eu queria. O primeiro disco ainda estava descobrindo a composição. Como escrever, como cantar, como encaixar as palavras nas melodias. Assim ele acabou sendo bem cancioneiro onde compus praticamente todo no violão na varanda da minha ex casa. Esse disco eu consegui fugir das formulas estrofe e refrão, utilizar sinthizadores e mudar completamente a parte rítmica. É um disco bem mais pra frente e bastante latino.

Quais bandas/artistas você tem escutado recentemente?

Na viagem de fim de ano para Ilha Bela escutei muito o disco de uma banda colombiana chamada Bomba Estéreo. Voltei a ouvir e escutar discos que ainda não conhecia do Tom Waits. O disco da Elza Soares está lindo escutei muito quando saiu.

Acredita que eles te influenciaram no processo de composição/gravação do novo disco?

Acredito que influencia sim. Mesmo que indiretamente.

Você atua como musico em outros projetos, a Jambroband do Otto é um exemplo. Esses projetos também influenciam no trabalho da sua carreira solo?

Tudo que acontece na minha carreira é aprendizado. Eu levo um pouco de cada coisa ou projeto que participo. Musicalmente falando o aprendizado é infinito. Otto é um artista muito forte, a sua música é verdadeira e forte. Ele me ensinou muito. Ele vai estar no disco. Querendo ou não influencia sim.

São três anos desde o lançamento de “Quando Calou-se a Multidão” (2013), as canções do novo disco nasceram neste período?

Elas foram aparecendo aos poucos. Fiz coisas pouco depois de ter lançado o quando calou-se e coisas bem próximas da gravação do ressaca.

A gravação foi com uma galera que já trabalha contigo a um bom tempo, né? Como foi gravar com tanta gente boa e de confiança?

São meus amigos, isso é o importante. Gosto de trabalhar com amigos. Tirando que são músicos excepcionais. Confio totalmente no que cada um vai trazer para o meu trabalho e eles confiam em mim. Então tá tudo certo.

Guri gravando com os amigos Pupillo Oliveira e Guilherme Almeida. Foto: Gustavo Vargas. - Ressaca

Guri gravando com os amigos Pupillo Oliveira e Guilherme Almeida. Foto: Gustavo Vargas.

Além da mudança de sonoridade, este novo trabalho tem o que de diferente do anterior?

Mais guitarras, bem mais guitarras. Sinths. Cumbias, raggatons… um monte de coisas.

O “Ressaca” tá prometido pro segundo semestre de 2016, antes disso podemos aguardar algum single ou teaser?

Acredito que o primeiro single deva sair por junho. Julho o disco. Mas vai saber, né?

Todos os discos da Pública tiveram 11 faixas cada. O seu primeiro disco teve 10 faixas, o Ressaca também será um disco de 10 faixas ou tudo é uma coincidência?

Vão ser 9 faixas. Eu queria 10. Mas não gosto de forçar a composição. Achei que 9 é um número ideal. Ainda mais nos dias de hoje que nego não escuta disco inteiro. Fazer um disco de 13 músicas é desperdiçar canção em um disco.

Pode nos falar o nome das faixas do disco novo?

Nem todas estão definidas. Mas temos alguns: Laranjeira, Geada, Andorinha, Vou Me Mudar Pro Uruguai

Pra finalizar, qual pergunta que você gostaria de responder e eu não fiz?

Estou louco para fazer show desse disco. As músicas vão funcionar muito bem ao vivo.

O disco “Ressaca” já está disponível, ouve aqui: