Músico levou seu show e sua superbanda para a Casa do Mancha, saiba como é o show do Jacintho.

Artista vindo de Leme, cidade localizada no interior de São Paulo, Murilo Henrique Jacintho lançou recentemente seu primeiro EP. O trabalho sela de vez sua identidade artística com sua música considerada agênera. O músico optou por assinar artisticamente apenas como Jacintho, este também é o nome de seu trabalho de estreia, curiosamente gravado ao vivo com a intenção de registrar o astral que sua música só consegue atingir em apresentações ao vivo.

Em uma noite fria de inverno, ele subiu ao palco da Casa do Mancha para o que seria uma hora inteira com doze músicas quentes e apaixonantes. O público que, corajosamente, saiu do edredom no domingo (2) para encarar a cidade não teve motivos para arrependimento no que se diz respeito ao show.

Conheça o trabalho do Jacintho no Sexta Efervescente. –

A banda é grande e no palco os sete músicos se apertam. Se não sobra muito espaço para se mexer por no palco, a música que esse time produz consegue fazer toda a pista sacudir. Jacintho gravou seu primeiro EP ao vivo, foi a única maneira que encontrou para mostrar ao público como são de verdade suas músicas. Gravadas em estúdio, eu tenho minhas dúvidas se funcionaria tão bem assim, se tocariam nossa alma tão fundo como fazem ao vivo.

O fôlego vocal de Jacintho impressiona. Durante o show é possível observar que suas canções têm muita de sua identidade, ele entrega muito de si e isso cria uma linguagem sonora que une as faixas. Eles parecem se interligarem. Entre a cumbia e o risca faca a apresentação é cheia de intensidade e baladas que se perdem em meio a ritmos calmos e quebrados.

Ouça Jacintho: