Relato: Baleia faz lançamento de disco “Atlas” no Sesc Belenzinho

“Indie ostentação” é assim que a banda Baleia define seu gênero musical em sua página do facebook. Tá certo que somos obrigados a concordar com essa definição, quem escutou o mais recente trabalho da banda sabe do que eu estou falando, não é a ostentação como acontece no funk paulista (de bens materiais), é a ostentação de som mesmo, a banda Baleia é o que podemos chamar de DIFERENTÕES.

Eles tocaram no último sábado (30/04) na Comedoria no Sesc Belenzinho, foi minha primeira experiência nessa comedoria (pra quem não sabe sou viciado e frequentador assíduo da Choperia, que agora virou também Comedoria no Sesc Pompeia). A noite estava bem fria na cidade de São Paulo, mas a banda teve uma recepção calorosa pela plateia que tinha algumas ilustres presenças como Tim Bernardes (O Terno) e Cicero.

baleia no sesc belenzinho
Foto: @victorotsuka e @marcello_otsuka

Na primeira música do show, “Hiato” a galera já estava bem empolgada pra espantar qualquer possibilidade de sentir frio seja pulando, cantando ou não acreditando que estava realmente no show daquela banda que tanto gosta, tinha sim uma galerinha histérica na plateia. Em “Furo” essa mesma galera ficou mais calma, sentindo cada verso cantado.

“Tardei”, mais uma música do disco “Quebra Azul”, o primeiro lançamento da banda, traz de fato uma quebra na iluminação até em tão somente em tom azul. Nessa música o violino aparece pela primeira vez no palco, mais tarde ele viria roubar a cena em uma jam improviso.

baleia no sesc belenzinho
Foto: @victorotsuka e @marcello_otsuka

O show celebrando o lançamento do disco “Atlas” mostrou uma banda que além de carregar o seu próprio indie nas costas, tem uma ostentação pesada, um som de qualidade, letras interessantes. A apresentação vai desde deixar você pensativo com letras mais dramáticas, até fazer você rir com o bom humor da banda e da plateia, todos em sintonia, que pediam covers de Beyoncé, Prince, Dorival Caymmi e mais um monte de artista pop.

Ouça “Atlas”, o mais novo disco da banda:

Set List:

“Hiato”;
“Furo”;
“Tardei”;
“Triz (Ida)”;
“Casa”;
“Volta”;
“Estrangeiro”;
“Breu”;
“Véspera”;
“Salto”;
“Duplo”;
“Motim”;
– Bis –
“Furo 2 (Sangue do Paraguai)”;
“Noite de Temporal”.

 

Cainan Willy

Cainan Willy, 22, é um carinha raro e quase caro, formado em Publicidade & Propaganda pela Universidade FIAM FAAM apaixonou-se pela música através de ídolos nacionais como Lobão e Júpiter Maçã. Atualmente é um dos fundadores do selo Cavaca Records e no seu tempo livre aparece aqui para escrever resenhas, relatos e eventualmente faz algumas entrevistas.