Alexandre Klinke é um brasileiro, nascido em São Paulo, ele deixou sua terra natal para viver em Vancouver, no Canadá (não confundir com a Luíza, que está no Canadá). “Lugares” é o nome do seu segundo disco, no entanto, é o primeiro a ser por aqui. Morando há oito anos longe do Brasil, Alexandre acabou por se acostumar com a saudade da família e amigos, em seu primeiro disco “Terreiro”, lançado em 2013, isto era muito mais visível do que agora.

“Vir pro Canadá me trouxe muitas coisas boas, me ajudou a dar foco na minha carreira musical, fiz novos amigos, conheci coisas novas e um jeito de pensar diferente. Imigração é uma experiência intensa. Sinto-me dividido entre dois lugares, uma espécie de limbo. Em Lugares as letras refletem um jeito diferente de pensar essa saudade, um pouco mais conformado, mais acostumado com minha nova casa. Vivendo aqui por tanto tempo já comecei a criar raízes e apreciar mais o lugar que estou”, conta Alexandre.

“Lugares”, portanto trata sobre como é sair de sua zona de conforto e ir morar em um novo país em busca de construir uma nova vida, algo que normalmente é bastante complicado, principalmente quando suas culturas são divergentes, a língua sendo cultura, a alimentação sendo cultura e tudo aquilo que é um costume por aqui, na gringa pode ser algo difícil de fazer, por vezes impossível.

Cada do disco "Lugares".

Cada do disco “Lugares”.

Gravado com bases eletrônicas, “Lugares” é uma mistura de sons e ritmos brasileiros. Junto as bases já existentes, foram inseridos instrumentos e, claro, a voz de Alexandre Klinke. Entraram baixo elétrico, instrumentos de percussão (que vão desde caixas de fósforos até garrafas de cerveja), mexeu mais pouco e temperou com sintetizadores e samples e mais algumas texturas eletrônicas.

Oito anos morando no Canadá, geraram um disco único que conta com também oito faixas no total (coincidência?), o resultado impressiona por seus temas abordados e pela sonoridade alcançada por Alexandre Klinke. As comparações com a terra natal, a saudade e vontade de conhecer novos lugares é empolgante e inspiradora, sua autonomia musical também é algo que chama a atenção de uma forma muito positiva durante todo o trabalho. Todas as músicas foram compostas e tocadas por Alexandre Klinke a masterização ficou a cargo de Graemme Brown.

Ouça Alexandre Klinke – “Lugares”: