Os famosos tokusatsus chegaram por aqui em 1964, (sim, no mesmo ano da ditadura militar), com a exibição da série National Kid (1960) na TV Rio e posteriormente também na TV Record (1953), logo em seguida, foi exibida pela recém-chegada da TV Globo, fundada em 1965. Por incrível que pareça National foi um sucesso entre o publico brasileiro, pois no Japão ela tinha sido um fracasso. Com a ascensão da ditadura militar a série foi submetida a censuras e não demorou a ser cortada do ar. Ainda na década de 60, trouxeram para cá algumas outras séries como Magma Taishi que teve o titulo mudado para Vingadores do Espaço, Ultra Q, Ultraman e Kaiju Ouji chamado por aqui de Príncipe Dinossauro. Todas essas séries foram exibidas pela TV Bandeirantes (1967) que também estava começando naquela época.

Passando para os anos 70, a TV Gazeta fundada no ano de 1970 pela Fundação Casper Libero (1944), começa a exibir Kousoku Esper (1967). A TV Tupi (1950) passa a exibir as séries Ultra: Ultraman (1966), Ultraseven (1967) e Ultraman Jack (1971), Jack fez grande sucesso na Tupi e foi chamada por aqui de “O Regresso de Ultraman” além de exibir também uma série criada por Mitsuteru Yokoyama, Giant Robot (1967).

No inicio da década de 80, tivemos por aqui Spectreman (1971) exibido na TV Record e em seguida no antigo canal 11 TVS (Hoje o SBT Rio). As grandes novidades chegaram mesmo no final dos anos 80 quando vem ao Brasil, Kyojuu Tokusou Jaspion (1985) ou como ficou conhecido por aqui, O Fantástico Jaspion, ou somente Jaspion rs, e Dengeki Sentai Changeman (1985) ou só Changeman, Kamen Rider Black (1987) e Black RX (1988)  e etc. Tudo isso através de um investimento considerado arriscado, do empresário Toshihiko Egashira em parceria com a queridinha dos fãs de cultura japonesa a extinta Rede Manchete fundada em 1983.

A franquia dos Super Sentais e dos Metal Heroes e dos Kamen Riders ao contrário do que as emissoras da época pensavam, obtiveram um enorme sucesso, o que foi um espanto. E isso gerou uma grande explosão dos super-heróis japoneses aqui no Brasil, abrindo espaço para a vinda de novas séries, e venda de produtos como brinquedos e afins. De 1985 até 1995 os brasileiros foram marcados por essa onda de tokusatsu, as pessoas com 28-29 anos hoje em dia, devem lembrar muito bem como era naquela época. Porém infelizmente no final dos anos 90 o tokusatsu se defasou por aqui, desaparecendo quase que completamente no inicio dos anos 2000.

O que será que fez com que os tokusatsus sumissem do Brasil?

A empresa DaLicença uma licenciadora que trouxe animes como Dragon Ball Z, Sakura Card Captors e outros para cá, adquiriu os direitos para exibir Kamen Rider Kuuga (2000), (a primeira série depois do hiato de 11 anos da franquia Kamen Rider), porém não houve nenhum interesse por parte das redes de televisão para exibi-la. Fora isso alguns dizem que outras cinco séries foram adquiridas ainda na década de 90 porém não chegaram a serem exibidas, são elas:

As Super Sentais

  • Choudenshi Bioman – 1984
  • Choujuu Sentai Liveman – 1988
  • Kousoku Sentai Turboranger – 1989

E os Metal Heroes

  • Tokusou Exceedraft – 1992
  • Tokusou Robo Janperson – 1993

Eu particularmente queria muito ter visto Janperson por aqui.

Segundo o empresário Toshihiko Egashira (que ajudou a trazer as séries japonesas para cá, dono da Everest Video que posteriormente se tornou a Tikara Filmes), o inesperado sucesso do gênero tokusatsu fez com que muitas empresas como a Globo Video, Oro Filmes e Top Tane (hoje extintas) entrassem na onda de exibir as séries, o que acabou saturando o mercado e também o público-alvo com o passar do tempo, com uma massiva exploração comercial sobre o mesmo tipo de seriado, o que resultou com desinteresse do gênero, onde não era mais considerado como algo inovador e dessa forma perdeu seu potencial econômico. Isso sem falarmos da concorrência com a franquia nipo-americana dos Super Sentais, os Power Rangers, criada por um empresário chamado Haim Saban, ultilizava as cenas de ação das séries originais japonesas e as adaptava para o publico norte-americano, os americanos não se adaptam muito com a simplicidade da atuação japonesa e preferiram incluir americanos tradicionais para protagonizar os papéis. Power Rangers sendo uma franquia norte-americana com os mesmos elementos dos tokusatsus japoneses, seus custos com aquisição, licenciamento comercial, tradução, dublagem e etc., mostravam ser muito mais baratos do que os das séries originais, de maneira que o investimento que Saban fazia na adaptação para o publico americano, seria economicamente mais seguro e muito mais lucrativo. Hoje em dia só temos os Power Rangers por aqui, as séries Sentais ficaram no passado extinto da Rede Manchete.

Já na família Ultraman, após a exibição de Ultraman Jack (1971) exibida na Manchete em 1974, 26 anos se passaram até que a Rede Record exibisse a série Ultraman Tiga (1996) no Programa Eliana e Alegria (1998-2003) apresentado pela Eliana e que trouxe vários sucessos dos animes para o Brasil entre eles Pokémon (1997). Em 2006 a Impact Records lança oficialmente por aqui o filme Ultraman The Next e em 2007, Utraman Tiga – A Odisséia Final em DVD. O canal de TV fechada Cinemax chegou a exibir o filme Ultraman Mebius & Ultraman Brothers (2006) no ano de 2008.

Também em 2008, quando todos pesavam que não fosse chegar mais nenhum tokusatsu novo por aqui, eis que a RedeTV (1999) confirma a aquisição da série Madan Senki Ryukendo (2006) ela foi exibida a partir de abril de 2009 e completou sua exibição com 52 episódios.

No final da primeira década do novo milênio, começaram a surgir um novo interesse pelo tokusatsu

Em 2009 a Focus Filmes comprou os direitos de Jaspion, Changeman, Jiraiya e Jiban da extinta Manchete e foram relançadas em boxes de DVD com a série completa.

Em 2012 o Canal TCM reprisou filmes clássicos do início do tokusatsu:

  • Godzilla – 1954
  • Rodan – 1956
  • The H-Man – 1958
  • Mothra – 1961
  • The Green Slime – 1968

Em 2014 o serviço de streaming Chunchyroll passou a exibir as séries:

  • Ultraman Leo – 1974
  • Ultraman 80 – 1980
  • Ultraman Max – 2005
  • Ultraman Mebius – 2006
  • Ultraman X – 2015

Alguns filmes da franquia Ultra foram distribuídos pela Focus Filmes e exibidos pelos canais da rede HBO.

Em 2015 o serviço de streaming mais famoso atualmente a Netflix anunciou a aquisição das séries:

  • Jaspion
  • Changeman
  • Flashman
  • Jiban
  • Jiraiya
  • National Kid
  • Black Kamen Rider
  • Garo

É isso ae pessoal, os Tokusatsus começaram lá na década de 50 no Japão e hoje em dia já conquistou o mundo, e principalmente nós, o publico brasileiro. Vimos que o gênero teve altos e baixos e aparentemente estamos entrando em um período flashback por aqui, onde grandes empresas estão resgatando os sucessos do passado e projetando para o publico do presente que muitas vezes não teve a oportunidade de vê-los na época de lançamento, e também para os toku fãs (nome dado aos fãs assíduos de tokusatsu aqui no brasil) que estavam morrendo de saudade e agora podem experimentar aquela saborosa dose de nostalgia.

Estamos chegando ao fim da nossa trilogia, mas antes de finalizarmos colocarei uma lista de praticamente todos os toku’s lançados por aqui:

É isso ai pessoal, fiquem ligados porque as novidades sobre Tokusatsus estão só chegando, semana que vem nos vemos por aqui! Fui!