Duo de stoner rock, Dum Brothers, se apresentou no Contramão Gig e é destaque no Sexta Efervescente de hoje. Confira.

Julho é o mês que, de fato, divide o ano em dois. Agora estamos mais próximos ao fim de 2017 do que do começo. O ano tem sido intenso e muita coisa intensa tem rolado. Uma das surpresas do mês sete foi o Contramão Gig, organizado pelo coletivo Contramão (Hits Perdidos, Cansei do Mainstream, Crush em Hi-Fi e o pessoal do programa RockAlt), o primeiro evento deles rolou no Bar da Avareza e contou com as bandas Dum Brothers e Molodoys, hoje o Sexta Efervescente é sobre uma dessas duas bandas incríveis.

Raul Zanardo e Bruno Agnoletti formaram o duo Dum Brothers há dois anos, em 2015 os caras tinham a ideia de tocar Doom Metal, dai a inspiração para o nome do projeto. Mas esses planos iniciais sempre acabam sendo alterados e o Dum Brothers hoje é um importante expoente no cenário de Stoner em São Paulo. Eles tocaram no primeiro Contramão Gig e fizeram um dos shows mais legais que eu vi esse ano. Obrigado.

Em 2016 eles lançaram o EP Pt.1, esse trabalho conta com 5 faixas, sendo algumas delas cantadas em português e a grande parte em inglês. Os rapazes gostam de fazer essa mescla por ser uma coisa que surge normalmente durante o processo de composição, além de combinar muito com a pegada do som virtuoso deles.

Cartaz do primeiro Contramão Gig.

O vocalista e guitarrista Raul se divide entre essas duas tarefas e ainda tem o carisma no palco que falta em muitos dos músicos que se apresentam a públicos tímidos. Durante o rolê no Contramão Gig ele chama a galera pra chegar mais perto do palco e assim ambienta mais ainda todos ali com o peso de seus acordes e a precisão de Bruno, o baterista, que também se arrisca a cantar em alguns momentos.

Enquanto o rolê estava sendo anunciado, o Dum Brothers prometia a participação de uma figura carimbada na cena underground paulista, quando o General Sade (Porno Massacre) subiu ao palco, todo mundo ficou esperando pra ver como aquela figura inquieta ia se misturar com o duo, pra felicidade de geral o entrosamento foi instantâneo. Roger ficou no palco e acompanhou os caras em duas músicas, quando saiu ganhou uma salva de palmas e gritos de “Entra pra banda”, de fato não seria má ideia.

Em resumo a apresentação é um plus do que ouvimos no EP, tocando alto e com segurança os caras garantiram uma experiência muito massa pra todos os presentes ali, mostrando que a combinação de guitarra + bateria dá muito certo e que stoner rock pode ser muito criativo e divertido.

Ouça: Dum Brothers – Pt.1

Pacóvios: Cultura independente de tudo.